Tudo está dentro do planejado, desde que saímos da nossa querida e amada Pátria amada Brasil. Só que a permanência na Irlanda foi bem menor do que a esperada. Esperávamos a nossa naturalização italiana, eu e a minha esposa Elaine  e ela acabou vindo bem antes. O mais difícil em tudo isso, foi a despedida de Dublin, onde apesar do pouco tempo em que lá ficamos, fizemos um sem-número de amigos, que só vendo.

Aqui, na Itália, berço de nossos ancestrais aportamos e pretendemos residir por algum tempo, afinal  estamos em casa. Sempre de atenção  voltada para a Itália, contamos com a imprescindível colaboração de parentes e familiares, desde Araraquara, primos Terezani, Luiz e Nadir e a minha inesquecível mãezinha, Neide, em São Paulo e mais a Juliana que nos encaminhou para a Dalva, aqui radicada há bom tempo e que nos forneceram a certidão do meu antenato italiano.

Agora gente, seja o que Deus quiser, só que no fundo, a volta ao Brasil é a que prevalece. Vero!

Antes disso, uma passada na Polônia, para ficarmos um pouco com o filho, Daniel e Lisboa- Portugal.

Por enquanto daqui, deste também, adorado torrão, o nosso saudoso tchau, para todos vocês, amigos e familiares nesse Brasilzão de Deus.

Bem Vindos!

Accoglienza!

Estamos em casa!