Longos períodos de treino, fortalecimento, preparo físico e mental, tudo isso é muito importante para um corredor conseguir completar uma corrida de longa distância, porém, um ponto esquecido nesta lista pode acabar com o sonho de um atleta de correr uma maratona por exemplo, e colocar abaixo todas as planilhas, treinos e dedicação, o item é a alimentação.

Embora correr longas distâncias esteja longe da realidade de muitas pessoas, a alimentação de um maratonista não excede a realidade de uma dieta normal e saudável, composta na medida certa de carboidratos, proteínas, lipídios, minerais e vitaminas.

A suplementação deve vir por meio da própria comida, cada caso é um caso, mas normalmente quem tem uma alimentação adequada com variedade de frutas, legumes, verduras sem esquecer de carboidratos, proteínas e gorduras boas não necessita de suplementação.

Nos últimos dias que antecedem as provas de longa distância, o maratonista precisa dar uma atenção especial a dieta. É muito importante consumir vitamina C que é encontrada nas frutas vermelhas, limão e laranja além de vegetais verde- escuros, pois funciona como antioxidante evitando desgaste desnecessário ao organismo. A ingestão de carboidratos presente em massas, batatas, mandioca, arroz branco ou integral, frutas e pães darão um aporte de carboidrato, porém a quantidade de calorias não precisa ser alterada, mas é bom evitar o exagero em proteínas como a da carne, queijos amarelos, embutidos, além do excesso de gordura proveniente de manteigas, margarinas e frituras. A ingestão de fibras também precisa ser controlada para evitar maior motilidade intestinal durante o período da prova. Na noite que antecede a corrida é interessante comer um carboidrato como uma bela pasta ao sugo, podendo ser acompanhada de um suco de fruta, como o de laranja. É muito importante que de maneira nenhuma o atleta vá para a prova em jejum, entre uma e três horas antes da esperada largada é indicado a ingestão de 100 a 200 gramas de um carboidrato, podendo ser um pão branco, o pão integral pode não ser recomendado neste caso devido ao seu teor de fibras para evitar desconforto gástrico durante a corrida. Esse pão branco ainda pode ter o acompanhamento de um queijo magro ou uma geleia e claro para os que não dispensam uma batata doce, ela também pode ser ingerida.

A preocupação com alimentação deve acontecer durante todo o período de prova, o gel é a melhor escolha, pois ocupa pouco espaço e não é pesado não comprometendo o rendimento durante a corrida, não é indicado incluir géis no dia da corrida se o atleta nunca fez uso do mesmo, é interessante testar nos treinos. Uma dúvida frequente é a quantidade de gel que deve-se ingerir, este valor é individual mas a equação é bem simples, 0,5 g de carboidrato por quilo devem ser ingeridos a cada 40 minutos de corrida ( Ex: uma pessoa de 72 kg deve ingerir 36 g de gel a cada 40 min.) O isotônicos, muitas vezes distribuídos durante as provas, também são fundamentais para repor os sais minerais perdidos em corridas de longa distância. A hidratação também é muito importante durante todo o percurso até mesmo para que todos os nutrientes possam funcionar apropriadamente no corpo e evitar problemas maiores durante a prova deve-se ingerir 250 ml a cada 10 ou 15 minutos. Após o término de muitos quilômetros de corrida é necessário repor as perdas, o ideal é consumir 1,2 g de carboidrato por kg de peso e 10 g de proteína na primeira hora após o término da prova, seu corpo irá agradecer.